AQUI ESTA ESCANCARADA A FARSA DO GOVERNO ALCKMIN SOBRE EFETIVOS E INVESTIMENTOS NA SEGURANCA PUBLICA. VEJAM O DESMANTELAMENTO DA POLICIA CIVIL ,POLICIA CIENTIFICA ,O SUCATEAMENTO DO CORPO DE BOMBEIROS E OS MILHARES DE PMS QUE FALTAM NO EFETIVO? AQUI A MASCARA CAI PINOQUIO MENTIROSO

Antes da Assembleia Legislativa do Estado aprovar o Projeto de Lei nº 1.298, de 2015, que orça a Receita e fixa a Despesa do Estado para o exercício de 2016, esta seguiu para Parecer junto a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento para que emitissem parecer quanto ao projeto e às emendas apresentadas, visto estar previsto no Regimento Interno da casa.
O parecer recebeu o nº 1.922.
Quando abordou os recursos a serem destinados à Secretaria de Segurança Pública, assim consignaram:

Para o cabal cumprimento de suas atribuições, a Secretaria da Segurança Pública conta com as seguintes unidades orçamentárias: Administração Superior da Secretaria e da Sede, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Superintendência da Polícia Técnico-Científica e Caixa Beneficente da Polícia Militar. De acordo com a Relação de cargos providos/preenchidos e vagos publicada no DOE de 30/04/2015, na Administração Superior da Secretaria e da Sede existiam em 31/12/2014, 687 cargos, sendo que 154 estavam preenchidos e 533 vagos; na Polícia Civil existiam em 31/12/2014, 43.289 cargos, sendo 31.877 providos e 11.412 vagos; na Superintendência da Polícia Técnico-Científica existiam em 31/12/2014, 4.909 cargos, sendo 3.105 preenchidos e 1.804 vagos e na Caixa Beneficente da Polícia Militar também em 31/12/2014 os cargos existentes eram 236, com 39 preenchidos e 197 vagos.

Na Polícia Militar, conforme Decreto nº 61.177, de 19/03/2015 o efetivo total é de 93.799 policiais militares, sendo 5.480 oficiais e 88.319 praças, sendo que esse efetivo está assim distribuído: 4.782 oficiais e 77.810 praças estão empenhados no policiamento preventivo em todo o Estado; 584 oficiais e 9.447 praças integram o Corpo de Bombeiros e 114 oficiais e 1.062 praças prestam serviços em Secretarias e outros órgãos do Estado, no Tribunal de Justiça, na Assembleia Legislativa, na Prefeitura Municipal de São Paulo, na Procuradoria Geral de Justiça, na Câmara Municipal de São Paulo, no Tribunal de Justiça Militar, no Tribunal de Contas do Estado e na Casa Militar do Gabinete do Governador.

Além da imenso número de cargos vagos na Policia Civil e SPTC, têm-se o seguinte sobre o orçamento, conforme consta no parecer (com estas mesmas letras), verifiquem:

A tabela acima mostra que a proposta orçamentária da Secretaria da Segurança Pública para 2016 contempla apenas a Administração Superior da Secretaria e da Sede, a Polícia Militar e a Caixa Beneficente da Polícia Militar com aumento de recursos. Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e SPTC terão menos recursos em 2016 do que em 2015. A Polícia Civil, instituição responsável pela apuração das infrações penais em todo o Estado de São Paulo e a SPTC, órgão responsável pela coleta das provas materiais que levam ao esclarecimento de crimes e que deveriam ter maiores recursos para melhor cumprir suas atribuições, vêem-se diante de corte orçamentário, a PC na ordem de 8,81% e a SPTC na ordem de, pasmem, 21,76%. A SPTC é o órgão da SSP que mais sofre com a falta de recursos e estranhamente foi a maior penalizada no orçamento para 2016. O Corpo de Bombeiros também está sendo penalizado pelo governo com significativo corte de recursos para 2016, ou seja, 21,15%. Essas constatações nos levam a duas perguntas: Quais serão os critérios utilizados pelo governo estadual para a elaboração da proposta orçamentária? Qual a razão das unidades orçamentárias que mais precisam de recursos, sofrerem as maiores perdas? O governo que responda.

Quanto a investimento em seleção, formação, capacitação e aperfeiçoamento de servidores, o valor de R$ 30 milhões destinados a isto em 2016 será 63,50% menor do que o valor destinado em 2015, qual seja, R$ 83 milhões.

Ou seja, o valor de R$ 30 milhões visto com otimismo na verdade é péssimo quando comparado com 2015.

Enfim, o Deputado conclui:

(…)
O quadro mostra que os Programas da Polícia Civil, da Polícia Técnico-Científica e do Corpo de Bombeiros sofreram as maiores perdas de recursos orçamentários para 2016.
(…)
No que diz respeito aos recursos da proposta orçamentária para 2016 destinados aos diversos Programas e Ações, constatamos que o tímido crescimento de alguns e a grande redução de outros não possibilitará uma melhora significativa nos serviços de segurança prestados pelo poder público à população do Estado de São Paulo.

Em que pese o parecer desfavorável quanto os recursos a serem destinados à Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e SPTC (terão menos recursos em 2016 do que em 2015), o Projeto de Lei foi aprovado pela Assembleia Legislativa em 17.12.2015 e seguiu para Sanção do Governador do Estado em 18.12.2015, aguardando, desde então, sua assinatura.

fonte: http://www.al.sp.gov.br/noticia/?id=369433