G1 destaca ato de Major Olimpio enfrentando Alckmin e sua enorme covardia habitual

Deputado bloqueia carro de Alckmin e chama governador de ‘covarde’; veja vídeo

Major Olimpio fez novo protesto contra Alckmin após evento do Solidariedade; no sábado, governador reagiu aos gritos a manifestação do deputado.


Por Will Soares, G1 SP, São Paulo

 

Deputado bloqueia carro de Alckmin para protestar

Deputado bloqueia carro de Alckmin para protestar

O deputado federal Major Olimpio (SD-SP) fez um protesto na manhã desta sexta-feira (22) contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao final da convenção do partido Solidariedade, na Liberdade, Centro de São Paulo. Com uma faixa nas mãos, Olimpio bloqueou o carro que levava o governador embora e chamou Alckmin de “covarde”.

“Mostra agora onde é que está os R$ 50 mil que eu ganho? Massacrando o povo de São Paulo, a população e a polícia. Covarde!”, gritou o Major Olimpio.

Alckmin ficou dentro do carro sorrindo e não se manifestou. O governador não quis comentar o protesto.

O deputado federal prometeu fazer outros protestos em eventos públicos do governador.

Geraldo Alckmin ficou no carro e não quis comentar o protesto do Major Olimpio (Foto: Will Soares/G1)Geraldo Alckmin ficou no carro e não quis comentar o protesto do Major Olimpio (Foto: Will Soares/G1)

Geraldo Alckmin ficou no carro e não quis comentar o protesto do Major Olimpio (Foto: Will Soares/G1)

Discussão no sábado

No sábado (16), Alckmin discutiu com o Major Olimpio durante um evento em que entragava viaturas da Polícia Militar em São Carlos (SP).

Com um microfone e uma caixa de som, o deputado federal fez acusações contra Filho e o governador e gritou “Cadê o salário da polícia, secretário?”.

Aliados de Alckmin, o deputado federal Lobbe Neto (PSDB), o deputado estadual Roberto Massafera (PSDB) e o prefeito de São Carlos, Airton Garcia (PSB), passaram a defendê-lo e, durante seu discurso, o governador revidou as acusações.

Geraldo Alckmin visita a região de São Carlos e discute com deputado federal

Geraldo Alckmin visita a região de São Carlos e discute com deputado federal

“Quero fazer uma pergunta para vocês. Alguém aqui ganha R$ 50 mil do povo de São Paulo? É ele que está gritando. Ele ganha R$ 50 mil, devia ter vergonha, vergonha de vir aqui, R$ 50 mil do povo de São Paulo. Tenha vergonha, deputado. Não pode olhar no rosto dos brasileiros de São Paulo, R$ 50 mil por mês. Vergonha!”, gritou Alckmin.

Após o discurso, o governador conversou com jornalistas, mas não retomou o assunto, apenas afirmou que pretende dar o reajuste.

“Não tem ninguém mais interessado em dar aumento de salário, reajuste do que eu. Sou o maior interessado. É de justiça. Agora, todo mundo sabe da grande crise que o país passa. A arrecadação despencou, nós temos que agir com responsabilidade. Mesmo se você não dá reajuste a folha cresce 3% ao ano, mesmo sem reajuste. Então nós vamos dar o reajuste. A economia está começando a dar uma recuperação, agora, temos que agir com responsabilidade. Anteriormente, nós tivemos ganhos reais de salário, bem acima da inflação, então, abriu espaço orçamentário, nós vamos dar o reajuste. Mas não podemos fazê-lo neste momento”.