G1 destaca saída de Major Olimpio da CCJ :SD e PTN trocam na CCJ deputados favoráveis à cassação de Cunha

 

SD e PTN trocam na CCJ deputados favoráveis à cassação de Cunha

Partidos são aliados do presidente afastado da Câmara dos Deputados.
Major Olímpio e Bacelar foram informados nesta terça que seriam substituídos.

Fernana CalgaroDo G1, em Brasília

Aliados de Eduardo Cunha, o Solidariedade e o PTN substituíram nesta terça-feira (14)  integrantes titulares dos partidos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que votariam contra a consulta sobre os procedimentos de votação dos processos disciplinares que pode evitar a cassação do presidente afastado da Câmara.

Foram substituídos os deputados Major Olímpio (SD-SP) e Bacelar (PTN-BA), ambos votos declarados contra Cunha. Olímpio será substituído pelo deputado Lucas Vergílio (SD-GO) e Bacelar foi substituído pelo deputado Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO).

 

Na semana passada, o PR já havia trocado três integrantes (dois titulares e um suplente) por deputados que integram a tropa de choque de Cunha na CCJ.

A comissão pautou para a sessão desta terça-feira a votação do parecer que responde aos questionamentos do presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), relatado pelo deputado Arthur Lira (PP-AL). Ambos são aliados de Cunha. Para ganhar tempo, adversários do presidente afastado da Câmara apresentaram pedido de vista (mais tempo para analisar o caso), que adiou a análise do parecer.

Na semana passada, Bacelar havia apresentado, na CCJ, um voto em separado ao parecer que pode beneficiar o presidente afastado da Câmara. Na ocasião, ele defendeu que o plenário principal da Câmara tem que analisar o relatório que vier do Conselho de Ética, e não um projeto de resolução.

Antes de se retirar da CCJ, Bacelar se queixou de “pressões espúrias” sofridas pelos parlamentares. “Temos sofrido todo tipo de pressão, pressão espúria. Sou absolutamente contra essas manobras que têm envergonhado o Legislativo. Quero comunicar que fui afastado contra a minha vontade”, protestou.

Solidariedade a Cunha
O Solidariedade é presidido pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), conhecido comoPaulinho da Força, um dos maiores defensores de Cunha.

Substituído nesta terça-feira na CCJ, o deputado Major Olímpio (SD-SP) já havia registrado presença no painel eletrônico quando informou ao colegiado que havia sido trocado por outro parlamentar.

Questionado pela imprensa sobre o seu posicionamento, Olímpio disse que iria votar contra a consulta e a favor de eventual pedido de cassação de Cunha no plenário principal da Casa. Na avaliação do parlamentar paulista, esse foi o motivo para que fosse substituído pela liderança doSolidariedade na comissão.

A manobra do Solidariedade é uma tentativa de garantir os votos necessários para aprovar a consulta encaminhada à CCJ pelo presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão(PP-MA), outro aliado de Cunha.

 

CCJ  G1