G1 traz retirada de Major Olimpio da CCJ às vésperas de eventuais denúncias

Deputado crítico de Temer é retirado da CCJ às vésperas de eventual denúncia

Comissão será responsável por emitir parecer sobre possível denúncia do Ministério Público contra o presidente. Antes titular, Major Olímpio passou para vaga de suplente.


O deputado Major Olimpio (SD) (Foto: Caio Kenji/G1)O deputado Major Olimpio (SD) (Foto: Caio Kenji/G1)

O deputado Major Olimpio (SD) (Foto: Caio Kenji/G1)

Às vésperas da apresentação de eventual denúncia sobre o presidente Michel Temer pelo Ministério Público Federal, a bancada do Solidariedade retirou o deputado Major Olimpio (SD-SP) da vaga de titular da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

O parlamentar é crítico do presidente e disse que “sem dúvida” votaria a favor da continuidade do eventual processo sobre o peemedebista.

Eventual denúncia pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, prevista para ocorrer até esta terça-feira (27), precisará do aval da Câmara para ter continuidade no Supremo Tribunal Federal.

A CCJ será responsável por votar um parecer recomendando a continuidade ou o arquivamento do processo sobre Temer.

Por decisão da bancada do SD, Major Olimpio passa a ocupar uma cadeira de suplente na comissão e só terá o voto computado nos casos de ausência de membro titular. No lugar dele, entrou o líder do SD na Câmara, Aureo (RJ).

Ao G1, Major Olimpio afirmou que não foi comunicado sobre a decisão por ninguém do partido. O deputado disse estar chateado e ressaltou que fica “estarrecido” em pensar que a motivação da troca pode ter sido por sua posição contrária a Temer.

“Não tenha dúvida [de que eu votaria pela continuidade da denúncia sobre Temer]. Pelas evidências mais do que claras, pelos posicionamentos da procuradoria, pelo presidente não conseguir explicar absolutamente nada de concreto em relação às acusações, não tenha a menor dúvida”, disse. “Para mim, ladrão é ladrão, não tem esquerda ou direita”, completou.

Em nota, a assessoria de imprensa da liderança do Solidariedade na Câmara, que tem autonomia para fazer a substituição, informou que a mudança ocorreu em razão do interesse do líder do partido em “fortalecer o encaminhamento de projetos da bancada que tramitam na comissão”.

A nota diz que Aureo pretende acompanhar na CCJ a votação de projeto sobre franquia limitada nos planos de internet banda larga fixa. O partido ressalta que o pedido de troca foi feito à CCJ antes da conclusão do inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o presidente Michel Temer.

“O Solidariedade nunca cerceou nem cerceará a opinião dos integrantes da bancada. Major Olímpio é vice-líder do partido, exerce seu mandato com altivez e tem total liberdade de defender suas posições em quaisquer circunstâncias, seja nas comissões ou no Plenário da Câmara dos Deputados”, diz o documento.

“Não há qualquer relação entre a troca de titulares da comissão e os prováveis desdobramentos das investigações a respeito do presidente da República”, conclui.