Jornal ESTADÃO destaca PL de Major Olimpio que regula ação de juízes nos quais tenham algum envolvimento ou interesse

Regra de suspeição de juízes pode ser ampliada

Coluna do Estadão

30 Agosto 2017 | 05h30

Foto: Nelson Jr./ASCOM/TSE

 

A polêmica sobre decisões do ministro Gilmar Mendes, do STF, que beneficiaram o empresário Jacob Barata motivou a apresentação de um projeto de lei que amplia as possibilidades nas quais um juiz pode ser impedido de atuar num processo. O magistrado não poderia, por exemplo, atuar nos casos em que foi padrinho de casamento das partes, fato que revelaria convivência familiar próxima. O deputado Major Olímpio (SD-SP) incluiu na justificativa uma foto de Gilmar Mendes como padrinho de casamento da filha de Jacob Barata, solto por ele.

Pra sempre. Para convencer os colegas a aprovar seu texto, o deputado diz que “a função principal de um padrinho é estar disponível na alegria e na tristeza”. E que a madrinha cabe, até mesmo, “acompanhar a noiva ao banheiro no dia do casamento”. Já os padrinhos “tem como função fazer a pista de dança ferver até o fim da noite, garantindo a animação da festa até o último convidado deixar o salão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *