Após petistas pedirem sobrenome “Lula”, deputados fazem o mesmo com “Moro” e “Bolsonaro”

  • Por Jovem Pan
Nilson Bastian/Câmara dos DeputadosNilson Bastian/Câmara dos DeputadosO deputado Sóstenes Cavalcanti (DEM) disse que quer ser chamado de Sóstenes Moro Cavalcante

O pedido de deputados e senadores do PT para acrescentar o nome do ex-presidente Lula ao nome parlamentar deles foi um dos assuntos mais comentados desta quarta-feira (11) no Congresso.

Perguntado sobre o assunto, o presidente da Câmara Rodrigo Maia simplesmente disse que “não vai perder tempo com isso”.

Para que a mudança de nome se concretize, cada parlamentar deve enviar um ofício ao presidente da Câmara ou do Senado. E, por ser uma situação que nunca aconteceu, ainda não existe um entendimento se é necessária ou não a autorização da Mesa Diretora.

O deputado Major Olímpio (PSL) criticou a atitude dos petistas: “jamais vou fazer isso, gosto do meu nome, respeito o nome que tenho. É situação ridícula parlamentares fazerem isso para tentar dar um caráter que se trata de crime e criminoso político. É criminoso comum”.

Parlamentares de oposição continuam protestando contra a prisão de Lula. Após um ato na Câmara na última terça, ontem foi a vez do Senado. O senador Lindbergh Farias engrossou o coro a favor do ex-presidente: “prisão ilegal e inconstitucional, por isso nós do PT gritamos ‘Lula livre’”.

Alguns deputados de oposição ao PT também disseram que vão mudar a identificação parlamentar, acrescentando sobrenomes do juiz Sérgio Moro ou deputado Jair Bolsonaro.

O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM) disse que quer ser chamado de Sóstenes Moro Cavalcante. Já o deputado Capitão Augusto que se identificar como Capitão Bolsonaro Augusto.

*Informações do repórter Levy Guimarães